Uma visão complementar

A autora acredita que em complemento à busca do aperfeiçoamento espiritual, intelectual e moral do católico, o zelo com a Criação deve estar presente em todas suas ações e que este blog pode contribuir neste aperfeiçoamento, a partir da partilha de informações que unam o gerenciamento ambiental e a fé católica.

A dignidade do Homem é superior a da Natureza, mas ela fornece a base fisiológica necessária para chegar à Deus. Em Gênesis, aprendemos que ao Homem foi dada a guarda e uso da Criação, para que a conhecêssemos, nos fornecesse alimentos, água e abrigo, que sobre ela nos multiplicássemos. Entretanto, desde a "expulsão do Paraíso", não valorizamos esse precioso bem como uma graça de Deus a ser compartilhada por todos, para que todos – segundo seus méritos individuais - possuam as condições necessárias para desenvolver-se até a plenitude humana desejada por Ele.

Sou uma eterna curiosa e gosto muito de conversar sobre o zelo com a Criação de Deus nas pequenas coisas. Como não poderia deixar de ser – ao menos para criar um blog com este fim – minha formação profissional é relacionada à área ambiental.

Entretanto, não me interessa manter mais um blog sobre a temática ambiental (como tantos outros por aí focados apenas nas atividades práticas e mudanças condicionadas de hábitos), mas sim, um que ajude a sensibilizar as pessoas através do que trazem nas almas e neste caso, os católicos como eu - já que quem não o é, possivelmente, achará "ridícula" a minha proposta - que buscam trazer para o mundo físico as melhorias e habilidades desenvolvidas no mundo espiritual. 

Objetivo pretensioso? Pode até soar como tal, mas não é isto... Precisamos de mais doçura no olhar e no agir, mais caridade com nós mesmos e com o mundo. Não devemos nos tornar autômatos, precisamos parar de agir como tal e pensar profundamente, sentir profundamente que tudo está interligado... da fome do irmão até a abundância em sua mesa, da seca imposta geograficamente à que é oriunda do desperdício humano, da poluição dos oceanos à pesca intermitente, da escravidão ao celular último modelo e tantas coisas mais. 

O que move o homem? Como ele se posiciona sobre os demais? E sobre a Criação? Há como mudarmos "localmente" as nossas relações e influenciarmos o "mundo" ao nosso redor? Podemos ensinar isto aos outros? Ou preferiremos deixar "a vida nos levar e fazer o que dá"?


Earth system overview for the IGBP by Glynn Gorick.


Sobre o surgimento do blog...

Esse blog foi iniciado em 2008 no domínio cedido pelo Blog Católico - extinto no início de 2010 por problemas técnicos - e buscava agrupar toda informação relacionada à temática ambiental que fosse abordada sob a ótica da fé católica na língua portuguesa (com direito a traduções feitas por mim). A idéia de montar um espaço assim se deu após a observação do quanto muitos católicos dissociam os cuidados com a Criação das suas práticas religiosas, chegando mesmo a zombar e humilhar outros católicos que exercem profissões relacionadas à mesma, sob a imatura desculpa que tudo isso é coisa de uma “grande conspiração mundial”.

Não é que não haja uma - principalmente uma nem tão 'silenciosa' assim, movida pelos desdobramentos da Agenda 21, a qual nem sempre traz resultados positivos e não-excludentes - e acredito que permanecendo na ignorância e servindo de 'papagaios' de terceiros, seremos ainda mais débeis. Cansada de argumentar que o fanatismo encontra guarida em qualquer lugar – até mesmo entre suas convicções quanto ao tema, sem separar o joio do trigo - e que é justo e necessário o zelo com a Criação, iniciei uma coleta de documentos, principalmente sob a orientação vaticana, para demonstrar que não é algo alheio à vida católica.

O seu nome - Circa Creationis - significa "sobre a Criação" por motivos óbvios e as fontes que mais uso para citação de artigos são os próprios documentos do Vaticano – sejam adquiridos em seu site ou no da Missão na ONU -, as notícias dos portais Zenit e Catholic.Net, documentos do CIDSE, entre outros. Como reinicio o blog neste domínio, alguns textos serão inseridos com a defasagem de alguns anos, mas o teor e o alcance dos mesmos não se alteram. Basta lê-los com honestidade intelectual e paciência.

Sejam bem vindos!