25 de abril de 2010

Ostensão 2010: um evento “verde”, sóbrio e solidário

Por Chiara Santomiero
[Adap. Renata Espíndola]

Nenhum desperdício de recursos, máximo respeito pelo meio-ambiente e atenção à solidariedade internacional. Assim se pode sintetizar, para além do significado religioso, a fórmula do evento “Ostensão 2010 do Santo Sudário”. A agência ZENIT falou com Maurizio Baradello, diretor do Comitê para a Ostensão, criado em 2008 por um acordo entre prefeituras e governos das províncias de Turim, Piemonte e a arquidiocese de Turim – à qual estão vinculadas, para fazer frente às despesas com a organização do evento, as instituições bancárias Companhia de São Paulo e a Fundação CRT.

É interessante observar como conceitos de gerenciamento ambiental foram incorporados no projeto, desde a sua concepção à sua desmobilização e incluindo o tratamento dos resíduos e efluentes gerados. Boa leitura!

Atenção no uso dos recursos

"A primeira atenção foi dada à realização de obras permanentes. A maior parte das intervenções", explicou Baradello, “foi realizada em edifícios que permanecerão parte do patrimônio cultural da região. Este é o caso de diversas salas do Palácio Chiablese, re-estruturadas e utilizadas duarante a Ostensão do Sudário como capela para adoração Eucarística e centro para confissões, e que mais tarde abrigaram também bilheterias e livrarias”.

Da mesma forma, “o novo pórtico aberto nos Jardins reais, pelo qual passaram todos os peregrinos em direção à área do Museu de antiguidades, servirá ao próprio museu como via de acesso ao jardim, que anteriormente era acessível somente através de um percurso longo e complicado. Algumas intervenções tecnológicas foram também realizadas na expectativa de serem utilizadas novamente no futuro, como por exemplo as conexões via fibras óticas, bem como equipamentos e sistemas de difusão, sendo que o sistema de monitoração e controle do Sudário permanecerá operante”.

Um evento de baixo impacto ambiental

Já na fase de projeto” – afirmou Baradello – “foi previsto que a Ostensão levaria a Turim entre 1,5 a 2 milhões de visitantes. Este dado exigiu que se elaborasse um sistema de gestão visando a minimização dos impactos ambientais sobre a cidade. Com a previsão de cerca de 20 mil vans para o transporte dos peregrinos, foi fácil imaginar o impacto de tal aumento no tráfego. Assim, preparamos um sistema para recepcionar os veículos na parte central da cidade, definindo percursos e pontos de parada de modo a garantir um fluxo ordenado e harmônico”.

Uma taxa ecológica e solidária

Às vans foi solicitado o pagamento de uma taxa ambiental com valor entre 30 e 50 euros, dependendo do porte do veículo. “A taxa” – explicou o diretor do comitê – “foi requerida pela cidade a fim de compensar o aumento na produção de CO2”, e o valor arrecadado foi aplicado “no plantio de árvores na área urbana da cidade, e na aquisição de créditos de carbono junto a países em desenvolvimento. Há organismos das Nações Unidas que controlam as cargas de poluentes lançados no ambiente e determinam métodos de compensação, mediante a aquisição de ‘créditos verdes’. Como o aumento nas emissões de CO2 ocorrido em Turim não afeta apenas o ambiente local, a compensação não precisa ser, necessariamente, feita aqui. Dessa forma, parceiros do evento no Brasil e na Argentina –as cidades de Rosario e Belo Horizonte, que gerenciam suas emissões – puderam partilhar conosco destes benefícios”. Uma demonstração de que a Ostensão do Sudário também teve entre suas preocupações os temas do desenvolvimento e da cooperação internacional.

Incentivos ao uso do transporte coletivo

Foi promovido o uso do transporte público e as pessoas que chegam de automóvel são convidadas a deixarem seus carros nos estacionamentos na periferia e fazer uso do transporte público. O bilhete “park and ride” permite, pelo custo de 1 euro, estacionar e fazer uso ilimitado do transporte público por um dia inteiro, com o intuito de manter os veículos longe do centro histórico da cidade.

Coleta seletiva de rejeitos

A atenção para com o meio-ambiente se verifica também em outros detalhes da recepção dos peregrinos. A AMIAT, sociedade que gerencia a coleta seletiva na área da Ostensão, disponibilizou cestos identificados para os diversos tipos de rejeitos. O material re-aproveitável é destinado à reciclagem. Além disso, foi disponibilizada gratuitamente água do aqueduto, de modo que não há distribuição de garrafas plásticas. Finalmente, nos praças de alimentação e descanso destinadas aos peregrinos, houve a preocupação de oferece bens e produtos locais – os assim chamados “produtos zero quilômetro”.

Sobriedade

Todo o evento” – afirmou Baradello – “foi concebido para que servisse como exemplo de sobriedade. Este estilo sóbrio 'orientou todas as escolhas' e possibilitou a realização do evento com a ajuda de todos, pois sem a atuação dos voluntários, a Ostensão jamais teria ocorrido. Foram eles, entre outros, que garantiram a recepção das mais diversas categorias de pessoas, incluindo doentes e portadores de deficiências, além de autoridades; se tivéssemos que retribuir por tais serviços o evento teria sido impossível”.

A ajuda da internet

O uso da internet” – explicou Baradello – “foi determinante. Os especialistas nos disseram que, por meio da internet, receberíamos cerca de 35% das reservas. Ao contrário recebemos 91% dos pedidos de reserva. O recurso da internet facilitou de tal forma a comunicação do evento, que acabou por ajudar a veicular um imagem diferente de Turim e de toda a região – não a de uma cidade ‘cinzenta -, mas viva e com mil possibilidades. Por meio da internet, também os hotéis e restaurantes puderam se organizar para o evento com meses de antecedência, algo muito positivo em um período de crise econômica”.

Encerramento do evento

Como será a conclusão do evento, no próximo 23 de maio? “Será preciso desmontar tudo” – concluiu Baradello – “colocar as obras permanentes à disposição da cidade, restabelecer o Sudário ao seu lugar de origem. Será lembrado sem dúvida como um evento de grande importância para a Igreja, e esperamos que positivo em termos de organização, seja para os peregrinos, seja para a cidade”.


Sítio oficial do Santo Sudário:
(em inglês, italiano, francês, russo, alemão ou espanhol)

Nenhum comentário:

Postar um comentário